Evo 2023 brasileiros entrevista
Especiais

Brasil na EVO 2023! Zenith, KillerXinok e Agamotto’s Eye contam como foi o torneio

Três lendas dos jogos de luta revelam com exclusividade ao Flow Games os bastidores da EVO 2023!

14.08.2023 às 18:50

Imagem: PlayStation

Seja no jogo local entre amigos, com estranhos no fliperama, nas rankeds online, ou mesmo estudando e anotando frame data sozinho de madrugada, quem é mordido pelo mosquitinho da competição inevitavelmente foi atraído pelos holofotes da EVO 2023.

Mas não é tarefa fácil para nós brasileiros pisarmos na maior arena da FGC. A distância geográfica é grande, os custos são altos, e há até uma barreira de idioma. Ainda assim, em 2023 tivemos um número recorde de brazucas se aventurando por Los Angeles, EUA!

evo 2023 tem recorde de brasileiros

Imagem: EVO

Cada um deles carregando na mala não só um stick, mas também uma história cheia de perrengues, glórias, amizades, desafios e superação, além da torcida de todo o nosso país!

Aqui nós vamos explorar três delas com a ajuda das lendas KillerXinok (13º lugar em Mortal Kombat 11), Zenith (65º lugar em Street Fighter 6), e Agamotto’s Eye (9º lugar em Mortal Kombat 11), que gentilmente conversaram com o Flow Games!

Os desafios de fazer as malas para a EVO 2023

Não existe fórmula mágica para competir na EVO e, como nos jogos de luta, cada atleta tem uma narrativa para contar, seja ganhando passagens em competições, como foi o caso do Agamotto (atleta da TopSieteGames), ou buscando socorro em patrocínios e vaquinhas.

Em sua quarta EVO, os bolsos do KillerXinok ainda doem: “o hotel eu consegui rachar com os brasileiros, o complicado é que a alimentação é muito cara para a gente, porque é tudo cinco vezes mais caro!”, lamentou o ás do Mortal Kombat 11.

“Para quem mora lá deve ser uma beleza. Claro que nos eventos a comida é universalmente mais cara, só que para a gente é ainda mais caro e multiplicado por cinco ou seis vezes dependendo do método de pagamento, tipo cartão de crédito, onde se paga IOF e tudo mais…

Teve lugar em que eu paguei 28 dólares só em uma refeição porque era a única coisa que tinha para comer no meio do campeonato. Na mesma hora já feito a notificação no cartão cobrando o valor de uns R$ 160 e eu só pensei ‘Meu Deus…!’ (risos)”

Complicado? Sim, mas na maioria das vezes os desafios começam antes mesmo de embarcar e, como o Zenith nos revelou, até o processo de chegar na EVO vira uma batalha mental: “A viagem em si é uma doideira, porque os voos são extremamente longos!

Peguei voos de 25h para ir e mais 25h para voltar, mais o tempo de chegar antes no aeroporto, no hotel… tem os atrasos para levar em conta, é complicado… é preciso ter muita força de vontade, pois é tudo bem cansativo!

Você precisa chegar pelo menos um dia antes para tentar dormir, e ainda tem um pouco de jet lag por causa das 4h de fuso. Isso vai pesando especialmente no meio da tarde, porque o seu corpo não se acostuma com o ritmo em apenas dois dias!”

A ajuda dos brothers, claro, também é sempre muito bem-vinda. O próprio Zenith foi enfático ao destacar o apoio do jogador Kang, ícone do cenário de KOF, que o convidou e ajudou com a passagem. “Ele me fez acreditar e voltar a competir, foi mais do que um amigo!”

Os brasileiros se ajudam na EVO 2023

Durante as conversas com o trio, uma coisa que ficou clara e que todos mencionaram foi com o apoio que os brasileiros dão uns para os outros antes, depois, e especialmente durante a competição! Aliás, saca só que pesada essa foto cedida pelo Agamotto:

brasileiros na evo 2023

Imagem: Agamotto’s Eye

“A gente foi em um bonde”, explicou Zenith. “Claro que todo grupo tem as suas maiores afinidades, mas no fim das contas todo mundo se apoia muito! Você joga numa pool e estão todos interessados em ver como está a partida! Afinal…

Quando o jogador está nessa fase de ir para fora para jogar, ele passa a entender que todo e qualquer resultado positivo de brasileiro é bom para todo mundo!”

“Isso traz mais atenção, mais bons olhos para a gente. Aí todo mundo se apoia, fica junto, sai para comer, fazer um lanche, trocar ideia… Todo mundo se ajuda pra car@lho, a verdade é essa. É um lance que se acontecer um problema com alguém, ele vai ter todo o apoio.”

Até mesmo nos momentos longe dos brasileiros, a EVO 2023 também é um espaço onde a FGC mostra alguns de seus melhores traços. “Foi muito da hora ver geral, os caras todos que eu admirava!”, deslumbrou-se Agamotto.

evo 2023 brasileiros ed boon

Imagem: Agamotto’s Eye

“Os caras fod@s mesmo do Mortal Kombat me elogiando, falando que eu jogo bem, indo me cumprimentar… eu não sabia que seria assim, que a galera ia me reconhecer… fiquei até meio bobo com isso! (risos)”

Em sua quarta EVO, KillerXinok também destacou a importância dos brazucas: “Foi a convivência mais da hora que eu já tive por lá. Tinha muitos BR, e é sempre bom ter a galera lá porque faz a gente se sentir como se estivéssemos num campeonato brasileiro mesmo!

“Sempre que possível, tendo um tempo livre, a gente ia tentar ver as lutas dos outros brasileiros, só que é difícil achar, porque mano, lá é muuuuito grande! Quem nunca foi não tem noção do tamanho da EVO 2023!

Para achar os outros brasileiros a gente tinha que ir na chave, procurar o horário, tentar caçar no nosso grupo no Zap… só que aí o cara já está jogando e não vai olhar o celular, né? Enfim, direto a gente tentava se ajudar e torcer como dava.

Desde quem está no aeroporto tentando pegar Uber juntos, até… olha, como eu cheguei quinta à noite, o Sarda já se propôs a tentar pegar o meu crachá! Mas eu tive que acordar 6 da matina para pegá-lo porque terceiros não podiam fazer isso mesmo com os dados todos…”

Mas todo mundo sempre tentava ir juntos comer, treinar em estações, o pessoal estava muito unido“. Aliás, o ilustre Sarda estará no MD3 no nosso canal nesta terça-feira, dia 15, então fique ligado para conferir ainda mais bastidores da EVO 2023 por lá!

A adrenalina de competir na EVO 2023

Naturalmente, cada competidor tem o seu próprio estilo, abordagem e preparação para as lutas. O estreante Agamotto, por exemplo “estava muito tranquilo mesmo na maior parte do tempo. Só ali na hora que eu caí para a losers que pegou…

https://www.youtube.com/watch?v=-DB32FyMhcI

Foi passando o tempo, eu estavam sem dormir, estava cansado, tinha comido só uma vez ainda… nossa, ali bateu o cansaço e não conseguia pensar em mais nada! Eu fiz um 2-1 ainda, mas eu nem estava vendo mais nada, nem lembro como foram as partidas (risos).

Daí começou a bater um desânimo, o meu mental estava fraco nessa hora e acabei perdendo. Deu para pegar um top 9, foi da hora! Sinto que poderia ter ido melhor, mas é complicado. Primeira EVO, né? Não sabia que seria tão exaustivo, acabei perdendo a confiança ali.”

Já a preparação do Zenith foi mais tranquila: “a MaxArena fez um patrocínio pontual e começamos um relacionamento. Eles fizeram o aporte financeiro para eu poder me bancar em Vegas. Olha que só a inscrição da EVO já dava quase 170 dólares!

Se não fosse por eles eu não teria conseguido ir, nem voltado a treinar e estudar! E aí vem a parte do treino: eu tive uns 20 dias legais depois de acertada a viagem só para treinar e conseguir o meu resultado.

Fighting game tem essa particularidade de ter muito torneio open bracket, o que significa que qualquer ser humano com um controle debaixo do braço vai se inscrever e vai jogar. Street Fighter 6 teve mais de 7.000 competidores em um único torneio, e isso é brutal!

Em fighting games pode aparecer um cara que veio lá do interior do Arizona muito bom, e ele vem e passa por todo mundo. Não é incomum isso, e na EVO 2023 você jogava com todo tipo de jogador, gente muito forte, e isso é difícil.”

A jornada é complicada até mesmo para campeões como o KillerXinok, mas ele compartilhou dicas muito valiosas com a gente: “qualquer campeonato a gente sempre joga com sangue nos olhos, e lá fora a gente sempre quer mostrar o potencial do Brasil!

Muita gente às vezes desacredita do próprio potencial. Todo mundo começa de algum lugar, e o início é sempre turbulento. Eu comecei jogando lá em 2012, e eu fui para um campeonato só porque um amigo meu queria que eu jogasse, ainda no Mortal Kombat 9!

Todo mundo fica nervoso, até o cara que joga há 20 anos fica nervoso, não tem jeito. Uma coisa que sempre levo comigo é saber que você pode até estar nervoso, mas você precisa saber que o seu oponente também está!

Você precisa fazer ele ficar mais nervoso, são só dois seres humanos. Você estudou o jogo, treinou, você sabe. Você vai ganhar dele! A base é isso: treinar e fazer o seu jogo sem ligar para quem está do lado. Eu nem vejo as chaves, quem chegar para enfrentar, eu vou enfrentar.

Quem quer começar, quem quer ter sucesso: é estudar o jogo inteiro, aplicar a sua tática. Fazer as coisas com o menor risco possível, analisar situações. Existem vários estilos de jogo, mas se você quer ter sucesso, você precisa ter a maior análise e o menor risco possível.”

Nos vemos na EVO 2024?

Tomara que esse texto sobre a EVO 2023 tenha servido de motivação para você se empolgar e treinar ainda mais ao longo do ano, quem sabe até participando de um novo bonde brasileiro?! Você estará na melhor companhia possível. Afinal, como bem disse o Zenith:

Se você tem vontade de ir, vá! Mesmo se for só um espectador casual. Guarde um dinheiro, faça planos, é simplesmente incrível estar num ambiente com no mínimo 11.000 pessoas que gostam da mesma coisa que você. Isso é indescritível!”

Comentários
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários